O Gênero epsitolar ou a pensamento nômade

Résumé : As cartas são textos híbridos e rebeldes a quaisquer identificações genéricas. Gênero literário indefinível, flutuam entre categorias vagas: arquivos, documentos, testemunhos, define Brigitte Diaz neste livro. Incapazes de atribuir uma essência estável ao gênero epistolar, as teorias tentaram circunscrevê-lo em domínios limitados: o mundano, o íntimo, o autobiográfico. As correspondências analisadas neste livro desestabilizam justamente esses paradigmas reducionistas. Elas demonstram que a carta foi, no século XIX, o meio de circulação predileto do chamado pensamento nômade – pensamento sobre si, a cidade ou a literatura. Como um convite à escrita de si, ao ensaio ou ao debate teórico, a carta, objeto que atravessa o espaço literário sem jamais nele se fundir, tem igualmente contribuído para repensarmos a própria noção de literatura.
Type de document :
Ouvrage (y compris édition critique et traduction)
Liste complète des métadonnées

https://hal-normandie-univ.archives-ouvertes.fr/hal-02157831
Contributeur : Catherine Bienvenu <>
Soumis le : lundi 17 juin 2019 - 14:38:46
Dernière modification le : jeudi 7 novembre 2019 - 15:18:07

Identifiants

  • HAL Id : hal-02157831, version 1

Collections

Citation

Brigitte Diaz. O Gênero epsitolar ou a pensamento nômade. Edusp, 272 p., 2016, 9788531416231. ⟨hal-02157831⟩

Partager

Métriques

Consultations de la notice

17